O seu Dia a Dia
Tema da Semana

Avaliação de imóveis: o que deve saber?

Publicado em 19-02-2018

Se já comprou casa, ou está a preparar-se para comprar, já ouviu falar na necessidade de avaliar o imóvel, para ter acesso a um empréstimo bancário. Este é um procedimento indispensável num processo deste tipo e como tal todas as instituições de crédito recorrem a ele no momento em que são chamadas a emprestar dinheiro para a compra de uma habitação.

É assim na concessão de um crédito inicial para aquisição e também se aplica a situações de transferência de crédito de uma instituição bancária para outra. Isto porque a habitação em questão, mesmo já tendo sido avaliada num momento anterior, anos depois terá um valor distinto, seja por causa da idade ou de outros fatores.

A concessão de crédito é uma das principais motivações para a avaliação de imóveis, mas não é a única. Situações de partilhas decorrentes de heranças também podem motivar a necessidade de avaliar imóveis, tal como a intenção de venda de qualquer proprietário que queira estar seguro do valor de mercado do seu imóvel antes de o colocar à venda.

Os critérios considerados numa avaliação deste tipo podem variar ligeiramente, e é por isso que cada banco não dispensa a sua própria avaliação, mesmo que o cliente já tenha solicitado uma, mas em traços gerais há um conjunto de aspetos que são sempre observados.

A localização da habitação é um dos aspetos mais importantes. O bairro, a zona onde se insere o imóvel, os serviços e as acessibilidades (como sejam transportes públicos) disponíveis nas imediações são determinantes para definir o valor de mercado. A tipologia (número de assoalhadas), o piso, a vista das varandas ou janelas e a orientação solar também contam, pois ajuda a determinar o nível de probabilidade de a habitação estar sujeita a humidades que a vão deteriorando.

Relevante é ainda o tipo de equipamentos disponíveis. Uma casa num prédio com elevador e espaço para estacionamento tem mais valor do que uma outra sem estas comodidades, da mesma forma que uma vivenda com jardim e uma área maior é mais valorizada do que uma moradia com divisões modestas e com pouco espaço exterior.

O ano de construção do imóvel, a qualidade dos materiais utilizados e os acabamentos entram igualmente em linha de conta, tal como o estado de conservação da habitação e, claro, o estado do próprio mercado à data da avaliação. Em última análise, este é um dos fatores mais importantes para definir se será mais fácil ou mais difícil vender o imóvel e como tal tem uma influência direta no processo.

Para fazer a avaliação de um imóvel estão disponíveis diferentes tipos de recursos, que podem ser requisitados por qualquer pessoa interessada em usá-los.

O Portal das Finanças é um dos recursos gratuitos que pode ser usado com este fim. Permite avaliar imóveis em função da zona geográfica onde se encontram e também calcula o valor dos impostos associados à mesma localização. Existem alguns sites que oferecem o mesmo tipo de serviços, assim como empresas e técnicos especializados, mas neste caso a avaliação é paga.