O seu Dia a Dia
Saber Poupar

Evite surpresas com as despesas familiares

Publicado em 19-03-2018

Uma despesa inesperada pode causar um estrago sério ao orçamento familiar e obrigar a alguma ginástica para voltar a pôr as contas em ordem. Para evitar situações deste tipo é fundamental controlar gastos e tentar sempre estar um passo à frente dos imprevistos, conhecendo bem os principais focos de despesa da família. Esta é a melhor forma de manter as contas em dia e não ser “apanhado na curva” por surpresas desagradáveis.

Algumas regras podem ajudar a colocar no terreno estratégias simples, mas eficazes, para gerir o orçamento familiar como se de uma pequena empresa se tratasse. Não conseguir poupar pode ser um sinal de baixos rendimentos, mas também pode ser um sintoma de má gestão do orçamento familiar.

Para identificar cada caso, nada melhor do que dar visibilidade aos números e perceber exatamente onde se gasta o dinheiro que entra em casa todos os meses e em que medida. As respostas que este exercício permite alcançar podem ser surpreendentes. Aqui ficam cinco sugestões para pôr mãos à obra:

  • O ponto de partida para planear uma boa gestão do orçamento familiar é listar as receitas mensais da família, entre salários, pensões, rendas ou outras fontes de rendimento. O exercício não deve visar apenas o próximo mês, ou o mês corrente, mas também os próximos, para permitir planeamento e estratégias atempadas.
  • A seguir faça uma lista detalhada das despesas mensais, desde água, luz, rendas, comunicações e outras. Procure fazer uma estimativa de outras despesas menos lineares, como o consumo de combustíveis, despesas de supermercado e de lazer. Distinga despesas essenciais de despesas acessórias e avalie bem o peso de ambas para perceber se a proporção é a mais correta.
  • Some as despesas que todos os meses entram no orçamento mas que têm um valor variável para, mês a mês, conseguir identificar um padrão médio de consumo, que também facilitará a identificação de gastos excessivos e a sua correção.
  • Aponte numa agenda as receitas e as despesas esporádicas, como subsídios de férias e Natal, seguro do carro, IMI, etc. Assim, sempre que chegar ao final de um mês e começar a planear os próximos, será mais fácil identificar meses mais exigentes e preparar-se para eles aos poucos, cortando nas despesas menos essenciais. Na mesma agenda anote uma previsão de receita e despesa para cada mês, para saber de antemão com o que deve contar e ajustar-se a isso.
  • Planeie com cuidado as compras pontuais. Precisa de comprar um televisor novo, fazer a revisão do carro, ou mudar de colchão? Olhe para o calendário e tente arrumar estas despesas em meses afastados daqueles em que terá gastos extra que não pode evitar. Por exemplo, se para aproveitar uma boa promoção acabar por comprar o televisor novo no mês antes de pagar o seguro do carro, o período em que fica com uma margem reduzida para suportar alguma despesa não prevista será maior.