O seu Dia a Dia
Tema da Semana

Os alimentos que podem ser também medicamentos

Publicado em 04-04-2018

Os alimentos que ingerimos têm um papel muito mais importante na nossa vida do que servir para saciar a fome. Uma dieta equilibrada pode ser a chave para uma vida longa e saudável. Há milhares de estudos sobre o tema, a identificar propriedades ricas em diversos alimentos para a prevenção ou combate de doenças. Hoje escolhemos alguns dos mais citados, que devem ter lugar garantido na sua despensa.

  •  Tomate, um aliado no combate ao cancro da próstata

São vários os alimentos que a ciência tem demonstrado poderem ser bons aliados na defesa do organismo contra o cancro. É o caso do tomate, graças ao licopeno, um antioxidante que também existe em abundância na melancia e que ajuda a proteger danos nas células e no ADN. Também é eficaz na prevenção de doenças do coração. Um estudo conjunto das Universidades de Oxford, Cambridge e Bristol concluiu que os homens que consomem mais de 10 porções de tomate por semana podem reduzir em 20% o risco de cancro na próstata.

  • Pera-abate contra o colesterol

Índices elevados de mau colesterol são um problema para milhares de pessoas, mas também neste caso vários alimentos podem dar uma ajuda no controlo de danos. Uma pesquisa publicada no Journal of the American Heart Association demonstra que, embora calórica, a pera-abacate tem um impacto direto na redução dos níveis de colesterol LDL, o chamado colesterol mau.

Possui gorduras não saturadas, além de carotenoides (antioxidantes), ácido fólico e vitamina C, por isso a sua ingestão também pode ajudar quem tem perturbações digestivas, problemas de rins, fígado ou prisão de ventre.

Se prefere manter uma dieta mais ligada a produtos tipicamente portugueses, mas precisa de controlar o colesterol, recorra à couve-portuguesa que tem o mesmo tipo de propriedade: baixa o colesterol mau e aumenta o bom, o HDL.

  • Vegetais de folha verde ajudam a prevenir diabetes

Um estudo do British Medical Journal concluiu que a ingestão regular de vegetais de folha verde pode ajudar a prevenir a diabetes tipo II. Os antioxidantes e o magnésio presentes neste tipo de alimentos, que não devem ser excessivamente cozinhados para não perderem propriedades, explicam o efeito.

As leguminosas são outro alimento importante. Algumas pesquisas sugerem que podem contribuir para a prevenção da doença, certo é que podem ajudar a controlá-la, por serem hidratos de carbono complexos, com um índice glicémico baixo e absorvidos de forma lenta pelo organismo, o que permite controlar os níveis de açúcar no sangue.

  • Brócolos, indispensáveis na despensa… por várias razões

Os brócolos são um dos alimentos mais estudado nas suas características benéficas para o organismo e mais abrangentes nas vantagens. São um aliado de peso no reforço do sistema imunitário e como tal na prevenção de infeções, graças ao betacaroteno, ao zinco e ao selénio. Por serem ricos em vitamina B2, B3, B5, B6 e C, expandem o leque de benefícios, que ainda se deve à existência de 3-indol-carbinol, substância muito usada na prevenção e tratamento de vários tipos de cancro, disponível até na forma de suplementos. São ainda ricos em vitamina K, que favorece a absorção de cálcio, vital para fortalecer os ossos.

  • Beterraba e feijão-branco do nosso coração

Para a boa saúde do coração e uma pressão arterial controlada há outro alimento que deve manter na dieta: a beterraba. É rica em nitratos naturais e graças a isso acelera a produção de óxido nítrico, que ajuda a dilatar os vasos sanguíneos. O chocolate negro, assim como outros produtos derivados do cacau, também podem contribuir para manter a pressão arterial controlada, graças à abundância de flavonoides.

Registe ainda que o potássio também é uma arma no combate aos acidentes vasculares cerebrais, porque ajuda a controlar a pressão arterial. Mais do que bananas, é no feijão, sobretudo no feijão-branco, ou na batata-doce que pode encontrar elevadas doses.

  • Alho e cebola amigos contra infeções

Estes dois pesos-pesados da culinária portuguesa garantem uma lista extensa de benefícios para a saúde. São ricos em selénio, flavonoides e vitamina C, antioxidantes fundamentais na proteção do sistema imunitário de infeções e no controlo do risco de cancro, por serem agentes ativos na luta contra os radicais livres, um combate que as uvas também conseguem travar de forma feroz, graças aos seus polifenóis, assim como a cenoura, devido aos carotenoides.

O facto de integrarem uma quantidade significativa de fibras prebióticas também faz do alho e da cebola estimulantes do crescimento de bactérias que contribuem para o bom funcionamento do intestino.

  • Frutos vermelhos e açafrão para um cérebro mais saudável

A riqueza dos frutos vermelhos em antioxidantes é conhecida e os seus benefícios para a saúde estão nas bocas do mundo. Aplicam-se em vários domínios, um dos quais a influência na saúde do cérebro. Amoras e mirtilos, pela quantidade de flavonoides que integram, destacam-se na capacidade de proteger as células cerebrais da ação degenerativa das doenças neurológicas, uma missão que, como já foi referido, as uvas também desempenham com perícia.
O açafrão é outro produto com lugar de destaque na prevenção ou retardamento de doenças do cérebro, além de ter efeitos benéficos para a memória. Tem curcumina, uma substância que consegue moderar os efeitos no cérebro de doenças como o Alzheimer, contribuindo para melhorar a qualidade de vida dos doentes.