Coca-Cola, Pepsi e Nestlé foram consideradas as empresas mais poluidoras de plástico

Coca-Cola, Pepsi e Nestlé foram consideradas as empresas mais poluidoras de plástico

Pelo terceiro ano consecutivo, a Coca-Cola, a Pepsi e a Nestlé são as principais poluidoras de plástico. As empresas são acusadas de não "progredirem" e não diminuírem os resíduos de plástico, de acordo com o The Guardian.

A Coca-Cola foi considerada a empresa mais poluidora de plástico pela Break Free From Plastic, depois das suas garrafas serem encontradas frequentemente em praias, rios e parques, em 51 dos 55 países analisados. No ano transato, a garrafa da Coca-Cola foi encontrada somente em 37 países, o que representa um aumento significativo.

Neste estudo foram encontradas 13.834 embalagens de plástico da Coca-Cola, um número superior à soma das embalagens da Pepsi (5.155) e da Nestlé (8.633). Realizado por 15 mil voluntários, a nível mundial, este projeto identifica o número de plásticos encontrados de grandes marcas globais. Este ano foram recolhidos 346 mil e 494 resíduos de plásticos.

A Coca-Cola foi no início deste ano criticada por ativistas ambientais, quando anunciou que não iria deixar de fabricar garrafas de plástico, “por estas serem populares entre os seus consumidores”, segundo apurou o The Guardian.

“As empresas mais poluidoras do mundo dizem que estão a trabalhar para diminuir a poluição e reduzir no plástico, contudo, ao invés disso, continuam a produzir imensas embalagens de plástico descartável e nocivo”, garante Emma Priestland, coordenadora da campanha global do Break Free From Plastic. Acrescentando ainda que “as empresas deveriam eliminar o plástico e implementar sistemas de reutilização”.

Cerca de 91% de todos os resíduos plásticos existentes não foram reciclados e acabaram por ser enviados para aterros, segundo um estudo realizado em 2017 e citado pelo The Guardian.

A Coca-Cola afirma que está a trabalhar para evitar o desperdício de embalagens, em parceira com outras entidades. “Globalmente, temos o compromisso de recuperar todas as garrafas até 2030, para que nenhuma delas acabe nos oceanos”, disse um porta-voz da empresa ao The Guardian. Revelando ainda que já têm disponíveis em 18 mercados garrafas com plástico 100% reciclado.