Filhos incentivam a boas práticas ambientais

Filhos incentivam a boas práticas ambientais

Apesar da sua tenra idade, a verdade é que, de acordo com a pesquisa, são os filhos que influenciam os políticos (14%), os líderes da opinião pública (13%) e as celebridades (9%) a seguirem práticas mais amigas do ambiente.

Para além dos mais jovens (45%), os que mais influência têm na tomada de consciência da pegada ambiental na altura da compra são os amigos mais próximos (42%), os cônjuges (37%) e os pais (19%).
No ano de 2019, quando este estudo da GfK começou a ser realizado, o meio ambiente já era uma preocupação. Em 2020, com a pandemia global e confinamento,tudo indicava que a preocupação com o planeta poderia sair da agenda, todavia, o tema permaneceu no pensamento dos consumidores.

Quatro em cada dez lares na Europa (42%) dizem ser diretamente afetados pelos problemas ambientais.  Em função deste problema, mais de um em cada três lares na Europa parou de comprar produtos e/ou serviços devido à sua pegada ambiental negativa. Por outras palavras, a responsabilidade social tornou-se, em alguns países, mais do que uma preocupação, uma regra.

De acordo com os dados de 2020, os consumidores acreditam cada vez mais que o seu comportamento na hora da compra pode fazer uma diferença positiva no meio ambiente. Sendo que se considera que são os fabricantes aqueles que têm maior possibilidade de causar um impacto positivo no ambiente, seguidos do governo.

O estudo da GfK salienta ainda que três em cada dez famílias certificam-se de que os itens que compram não são embalados em plástico. Com o novo coronavírus torna-se ainda mais importante evitar o desperdício de embalagens e refletir acerca das compras, uma vez que os padrões de higiene podem salvar vidas.