Pandemia reduz emissões de combustíveis em Portugal em mais de 20%

Pandemia reduz emissões de combustíveis em Portugal em mais de 20%

A covid-19 trouxe muitos dissabores à sociedade e às economias, mas, no que toca ao ambiente, veio aliviar a pressão. Em Portugal, as emissões de queima de combustíveis reduziram-se em 21,9% nos primeiros nove meses do ano, aponta o Instituto Nacional de Estatística, no boletim publicado esta segunda-feira, 21 de dezembro.  

“É de sublinhar, do ponto de vista ambiental, a diminuição do consumo de gasolina e das emissões de queima de combustíveis. Este efeito deverá ter superado o impacto negativo que o confinamento e a aplicação mais generalizada do regime de teletrabalho possam ter tido no consumo energético das famílias e também no aumento dos resíduos gerados”, explica o INE.

Mas as diferenças nos comportamentos – e as consequências benéficas para o ambiente – não ficaram por aqui. O abrandamento da atividade económica, que está refletido numa redução de 7,2% do Valor Acrescentado bruto (VAB), permitiu uma diminuição de 4,2% ao nível das emissões provenientes da queima de combustíveis, “verificando-se reduções expressivas no consumo de energia”. Também os resíduos gerados pelas atividades económicas diminuíram, e houve uma redução do consumo de gasóleo superior a 15%.

A quebra é muito visível num setor em particular, o da mobilidade, transportes e energia. Descidas de mais de 67% nos passageiros e de 56% nas aeronaves resultam num deslize de 57% das emissões nesta área. No que toca ao transporte marítimo, o alívio nas emissões foi de mais de 15%.