Futuro “só pode ser mais azul” pois há “enorme” potencial

Futuro “só pode ser mais azul” pois há “enorme” potencial

"O potencial deste setor (a economia do mar) é enorme", considera a diretora-geral de Política do Mar, Helena Vieira, apontando para o ritmo de crescimento e a vontade política, cada vez mais vincada, de apostar na sustentabilidade.

Entre 2010 e 2018, a economia do mar cresceu a 8,7% no valor acrescentado bruto (VAB), versus a média de 1,9% do conjunto de todas as empresas nacionais no mesmo período. Ou seja, tem superado – em muito – outros setores, assinala Helena Vieira. Estamos aqui a falar, por exemplo, de portos, logística, transporte marítimo, biotecnologia, aquacultura, ou até energias renováveis.

De acordo com o último relatório da Economia do Mar, de 2018, temos cerca de 40.000 empresas com impacto direto na economia do mar, que empregam 126 mil pessoas e geram um VAB de 3,3 mil milhões de euros (mais de 3% dos empregos e do VAB). Em 2019, segundo a Bluebio Alliance, existiam perto de 100 start-ups neste setor, um número que está a aumentar.

Neste contexto, entre 2014 e 2018, foram apoiadas 4.012 operações na área do mar no âmbito do Portugal 2020, num investimento total de 1,9 mil milhões de euros.

Na ótica da diretora-geral, “o futuro só pode ser mais azul”, “se a isto juntarmos as tendências globais de reformulação total dos modelos económicos por modelos mais verdes e sustentáveis “, a exigência crescente dos consumidores e o potencial de inovação de alguns segmentos da economia do mar.

8,7%Crescimento
O crescimento do Valor Acrescentado Bruto da economia do mar supera o da média dos setores.
100Start-ups
Em 2019, contavam-se 100 start-ups a operar no setor da economia azul, um número que tem vindo a crescer. 
126Emprego
As empresas da economia do mar empregavam, em 2018, 126 mil trabalhadores. 
1,9Investimento
Em quatro anos, investiram-se 1,9 mil milhões de euros para apoiar a economia do mar em Portugal.